Você sabe o que é rosácea?

A rosácea é uma doença inflamatória crônica da pele da face.

É caracterizada por eritema, edema, telangiectasias e pápulas, que podem ser acompanhadas de pústulas e nódulos.

Geralmente acomete em pessoas que tendem a ter a pele mais sensível com vasinhos aparentes no nariz e bochecha e vermelhidão mais persistentes.

A rosácea é caracterizada por ruborização –FLUSHING

na fase pré-rosácea há um eritema discreto na área centro facial, de duração variável, surgindo espontaneamente ou pela ação dos fatores desencadeantes, que se agravam de acordo com a frequência dos surtos e o desenvolvimento das lesões. Inicia-se na terceira ou quarta década de vida.

É mais frequente em mulheres, entretanto, as mulheres apresentam geralmente um quadro mais localizado e moderado e os homens apresentam formas mais extensas e graves.

A causa da rosácea ainda não é definida, apesar de vários estudos, ainda não chegaram a um consenso da origem.

Vários fatores têm sido apontados como gatilhos que devem ser identificados e evitados para não desencadear e exacerbar as crises e assim ter um melhor controle da rosácea.

Há uma RESPOSTA VASCULAR ALTERADA responsável pelos surtos eritematosos na face, no princípio de duração curta, porém aos poucos se prolongando até o eritema permanente.

FATORES DESENCADEANTES OU AGRAVANTES:

CLASSIFICAÇÃO DA ROSÁCEA:

1. GRAU 1 – ROSÁCEA ERITÊMATO -TELANGIECTÁSICA:

  • Eritema persistente na área centro facial
  • Com ou sem telangiectasias
  • Surtos de flushing

2. GRAU 2 – ROSÁCEA PÁPULO-PUSTULOSA:

  • Nas áreas eritematosas, surgem pápulas e pústulas
  • Eritema com edema, é mais inflamatório
  • Pode se estender até a área de implantação dos cabelos, regiões retro-auriculares e pré-esternal

3. GRAU 3 – ROSÁCEA INFILTRATIVA NODULAR:

  • Placas eritêmato-edêmato-infiltrativas, principalmente na região do queixo e nariz
  • Nódulos por hiperplasia sebácea, eventualmente inflamatórios e podem aparecer abscessos

4. GRAU 4 – ROSÁCEA FULMINANS:

  • Quadro agudo, de aparecimento súbito
  • Com intensa reação inflamatória, com nódulos e abscessos

Não necessariamente existe uma evolução progressiva entre esses subtipos, ou seja, alguns pacientes podem apresentar diretamente os subtipos mais avançados;

ROSÁCEA OCULAR: Ocorre em 50 % dos doentes, podendo ocorrer blefarite, conjuntivite, episclerite, irite e ceratite. Geralmente o comprometimento ocular está relacionado com a frequência de surtos. 

É necessário o acompanhamento regular com oftalmologista

ROSÁCEA GRANULOMATOSA: É uma complicação com formação de múltiplas pápulas/tubérculos, cuja patologia é granuloma tuberculoide, simulando uma tubercúlide

RINOFIMA: é um intumescimento progressivo do nariz, observado exclusivamente em homens com mais de 40 anos de idade, frequentemente associado com rosácea, porém, podendo ocorrer como única manifestação. É devido à progressiva hiperplasia da glândula sebácea e tecido conectivo, com fibrose e alterações vasculares. Outros fimas são: otofima, gnatofima e blefarofima.

ROSÁCEA x CORTICÓIDE: O uso de corticóide fluorados na face, por tempo prolongado, para o tratamento de dermatite seborreica, eczema tópico ou outras condições, pode induzir um quadro de rosácea-símile por corticóide. 

EVOLUÇÃO E PROGNÓSTICO:

  • Evolução crônica com agudizações;
  • Embora possa se desenvolver de diversas maneiras, a rosácea geralmente aparece pela primeira vez após os 30 anos como uma vermelhidão persistente ou pequenos vasos em regiões, como bochechas, nariz, queixo ou testa;
  • Inicia-se por crises períódicas de eritema (flushing facial);
  • Com o tempo, pápulas eritematosas pequenas, duração relativamente curta;
  • etapas avançadas: telangiectasias e pústulas.

Localização:

  • Centro da face – nariz, região genianas, mento
  • Ocasionalmente em punhos e pernas
  • Quando não há o tratamento adequado, é comum o surgimento de inchaços e espinhas, além de forte ardência no rosto.
  • Em alguns casos graves, também pode se manifestar por meio de um alargamento do nariz, pois a pele em seu torno fica mais espessa e irritada.
  • Corticoides fluorados podem agravar o quadro.
  • Orientar os fatores agravantes ou desencadeantes para minimizar os períodos agudos da doença.

DIAGNÓSTICO DA ROSÁCEA: 

  • É clínico.

DIAGNÓSTICOS DIFERENCIAIS: 

ACNE VULGAR (na rosácea não existem comedões)

DERMATITE SEBORREICA

DERMATITE PERIORAL

LÚPUS PÉRNIO

LÚPUS ERITEMATOSO

  • TRATAMENTO DA ROSÁCEA: 
  • Ela não tem cura, mas calma! Com os cuidados certos é possível controlar.  
  • Todas as causas agravantes ou desencadeantes devem ser afastadas
  • TRATAMENTO INTERNO: 
  • TETRACICLINA 250 MG – 2x/dia por 30 dias
  • LIMECICLINA 150 mg – 2x/ dia
  • METRONIDAZOL 250 mg – 2x/dia
  • CARVEDILOL 6,5 mg – 2x/dia
  • IVERMECTINA DOSE ÚNICA 12 mg 
  • ISOTRETINOÍNA pode ser indicada em baixas doses e em casos mais intensos
  • TRATAMENTO TÓPICO:
  • Sempre se associa o tratamento tópico ao sistêmico
  • Só o tratamento tópico é eficaz na maioria das vezes
  • Principal fármaco envolvido é o metronidazol em gel
    • Posologia: 0,75 a 2% – 2 vezes ao dia
  • Alternativas: 
    • Solução de Burow
    • Sulfacetamida sódica 10% com enxofre 5% em gel ou solução
    • Peróxido de benzoíla entre 5 e 10% pode ser útil
    • Retinaldeído a 0,05% de uso noturno.
    • Ivermectina creme 10mg/g
  • A protetor solar com um veículo leve; não gorduroso e de amplo espectro é sempre bem indicada
  • LASER:
  • Nd Yag 1.064 
  • Luz intensa Pulsada
  • Laser vascular

– O tratamento com laser é eficaz para rosácea, com o controle das recidivas, diminuição das crises, pois trata diretamente as telangiectasias e do eritema, bem como das pústulas e pápulas, é feito de maneira eficaz

  • PEELING
  • ATA 90%
  • CIRURGIA
  • Eletrocoagulação 
  • Laser ablativo CO2

– Tratamento para RINOFIMA

  • ORIENTAÇÕES:
  • É importante evitar: 
  • Produtos com potencial irritativo; 
  • Sabonetes abrasivos;
  • Produtos com álcool ou acetona e que ressequem a pele, 
  • Substâncias com efeito adstringente e tônicos;
  • Esfoliações ou 
  • Tratamentos mais agressivos de qualquer tipo.
  • SEGUE ALGUMAS DICAS:
  • Escolha um limpador suave, que não agrida a barreira da sua pele; que respeite a barreira cutânea;
  • Reforce a sua barreira cutânea com o uso de hidratantes;
  • Use filtro solar diariamente;
  • As águas micelares são ótimas alternativas para a higiene da pele pois limpam profundamente sem agredir;
  • Reduza sua rotina, evite o uso desnecessário de produtos que podem sensibilizar sua pele;
  • Os hidratantes várias vezes ao dia, especialmente à exposição a ambientes muito quentes, ou muito frios ou com ar-condicionado;
  • Descontinue o uso de qualquer produto que cause desconforto ou queimação
  • Proteja sua pele do vento, sol e calor; 
  • Limite o consumo de álcool, pimentas ou café.
  • Procure um médico dermatologista para um tratamento específico;
  • CAMPANHA SOS ROSÁCEA: 
  • Apesar de ter alguns estudos clínicos ao redor do mundo, a falta de informação em torno da rosácea pode atrasar o diagnóstico e dificultar o tratamento. 
  • No Brasil, existe uma campanha de movimento de conscientização contra efeitos emocionais da doença e a necessidade do acompanhamento e tratamento dermatológico. A campanha chama-se SOS Rosácea (www.sosrosacea.com.br) e reforça o movimento de conscientização para acabar com os estigmas e incentivar os cuidados adequados que dão respeito absoluto às peles sensíveis. Desde 2020, o projeto também busca aproximar homens e mulheres com rosácea para conectá-los com dermatologistas ao redor do país, por meio de experiências pessoais dos pacientes, dicas, tutoriais e informações gratuitas no site www.sosrosacea.com.br.  
  • É muito importante sempre marcar uma consulta com o seu médico dermatologista, só ele pode te indicar o skincare/tratamento adequado para cuidar dessa patologia que afeta tantos brasileiros. 

SOS Rosácea: Vermelhidão facial: não é insegurança, não é vergonha, não é bebida; ela pode ser rosácea!

Link do artigo: https://jornaldaorla.com.br/noticias/47950-voce-sabe-o-que-e-rosacea/

Sobre a doutora 

Júlia Mendes

Médica Dermatologista e Profª: Dermatologia na faculdade de Medicina FCMS e Especialização da SBD em Estética. Laser, Cirurgia e Beleza.