Ouriços do mar: atenção aos primeiros socorros

Atenção banhistas para não pisar em um ouriço-do-mar!

Os ouriços-do-mar são animais marinho invertebrado e estão presentes em todo o mundo. Não possui olhos, tal como as estrelas-do-mar e sim células sensíveis à luz espalhadas por todo o corpo, que é recoberto por espinhos. Tendem a se agruparem nas pedras e no Brasil não há espécies venenosas.

Segundo a tese de doutorado do Drº Vidal Haddad Junior, médico dermatologista e professor livre-docente da faculdade de medicina de Botucatu, os dados coletados em Ubatuba apontaram que 2% de todos os atendimentos foram por acidentes por animais aquáticos (muito!) e os ouriços-do-mar foram os responsáveis por metade dos casos nos mais de 2.000 atendimentos.

Ao pisar inadvertidamente em um ouriço, os espinhos se quebram e penetram profundamente na pele, atenção aos primeiros socorros:
O acidentado não deve pisar sobre a área atingida para não introduzir ainda mais os espinhos.

Procurar ir imediatamente ao pronto socorro para remoção dos espinhos com cuidado, pois são frágeis. Remoção cirúrgica com uma pequena incisão pode ser necessária especialmente quando migra para tecidos profundos.

Vinagre é um grande aliado e ajuda a dissolver os espinhos mais superficiais, devendo ser aplicado em compressas úmidas ou embeber a ferida com vinagre várias vezes ao dia.

A dor pode ser forte sendo necessário para o alívio analgésicos e compressas quentes. A dor pode continuar ainda por alguns dias mesmo após sua retirada, mas se permanecer por mais de 5 a 7 dias deve suspeitar de um fragmento residual, com formação de corpo estranho ou infecção local.

Bom verão, boa praia e cuidado onde pisam!

Link do artigo: https://jornaldaorla.com.br/noticias/ouricos-do-mar-atencao-aos-primeiros-socorros/

Sobre a doutora 

Júlia Mendes

Médica Dermatologista e Profª: Dermatologia na faculdade de Medicina FCMS e Especialização da SBD em Estética. Laser, Cirurgia e Beleza.