Acrocórdon

O acrocórdon também é denominado de papiloma fibroepitelial.

É o mais comum dos tumores fibrosos benignos da pele, atingindo igualmente mulheres e homens.

Surge geralmente na meia-idade e é de ocorrência frequente.

São pápulas filiformes de 1 a 5 mm de tamanho, com aspecto arredondado, podendo ser da cor da pele ou castanho-avermelhada ou mais frequentemente castanho-escuro.

Localizam-se principalmente no pescoço, pálpebras, rosto, axilas, e porção superior do tronco.

A importância está somente na estética, mas pode haver complicações como:

  • Tornar-se dolorosos quando se inflamam por trauma repetitivos por atrito;
  • Risco de sangramento ao se depilar;
  • Risco de infecção após micro traumas, como por exemplo coçadura exagerada;
  • Torção do pedúnculo levando a necrose.

A diagnose é clínica e apenas excepcionalmente se recorre a histopatologia, cujo resultado do anatomopatológico revela uma camada epidérmica, que é a superficial, normal e um centro fibroso-vascular constituído por colágeno frouxo ou denso e vasos centrais dilatados.

O diagnóstico diferencial é feito com:

  • Angiofibromas;
  • Nevos celulares;
  • Queratoses seborreicas.

O tratamento é simples e pode se feito das seguintes maneiras:

  • Shaving da lesão com uma tesoura ou bisturi, após anestesia local e em seguida eletrocauterização da base da lesão (não precisa tomar pontos);
  • Exérese e sutura simples;
  • Criocirurgia com nitrogênio líquido.

Procure sempre o seu médico dermatologista para avaliação, acompanhamento e orientações adequadas.

Link do artigo: https://jornaldaorla.com.br/noticias/acrocordon-2/

Sobre a doutora 

Júlia Mendes

Médica Dermatologista e Profª: Dermatologia na faculdade de Medicina FCMS e Especialização da SBD em Estética. Laser, Cirurgia e Beleza.